Pular para o conteúdo

Em maio inicia-se o Curso de Tintas da ABRAFATI: inscrições já abertas

Aulas teóricas e práticas proporcionam formação e reciclagem de conhecimentos em poucas semanas.

A 32ª edição do Curso de Tecnologia em Tintas da ABRAFATI está agendada para o período de 07 de maio a 15 de junho. Profissionais das áreas técnicas e de gestão de fabricantes de tintas, fornecedores e outras empresas e instituições relacionadas ao setor já podem se inscrever para aproveitar essa importante oportunidade de acesso a conteúdos extremamente relevantes para quem deseja atualizar e ampliar seu conhecimento.

Com um programa desenvolvido de acordo com a realidade da indústria de tintas no Brasil, o curso é reconhecido como ótima opção para, em apenas seis semanas, renovar e aprofundar a capacitação técnica.

Com carga horária de 60 horas de aulas teóricas, realizadas no período noturno, e 40 horas de aulas práticas (aos sábados em período integral), abrange um vasto conteúdo, que vai das matérias-primas e processos até os produtos e suas aplicações, envolvendo tintas das linhas imobiliária, de repintura automotiva, manutenção industrial e em pó. Em cada tema, especialistas do setor utilizam a sua experiência e bagagem técnica para explicar a aplicação prática dos conteúdos, incorporando continuamente as inovações tecnológicas e as tendências mais recentes.

O curso é reconhecido por trazer benefícios diretos para os profissionais e para as empresas, que passam a estar ainda mais preparados para acompanhar e antecipar-se às demandas do mercado. Juntamente com a disseminação de conhecimento, abre oportunidades de interação entre os profissionais, estimulando o intercâmbio de informações e o networking.

Uma vantagem adicional dos participantes é a isenção de custo para a inscrição no Congresso Internacional de Tintas, que se realiza de 01 a 03 de outubro, estimulando a continuidade das atividades de capacitação.

Trabalho do PBQP-H em prol da qualidade completa 20 anos, com resultados muito positivos

Avanços no segmento de materiais de construção, como as tintas imobiliárias, vêm sendo significativos, contribuindo para um mercado mais ordenado e o estímulo à inovação.

No último dia 06 de dezembro, foram comemorados os 20 anos da criação do PBQP-H, Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat. O evento ocorreu durante a Reunião do Comitê Nacional de Desenvolvimento Tecnológico da Habitação (CTECH), em Brasília, contando com a presença de lideranças dos diferentes segmentos da indústria de materiais de construção, entre as quais a ABRAFATI, representada por seu presidente-executivo, Antonio Carlos de Oliveira.

Durante a reunião, foi destacado que o PBQP-H vem sendo, desde 1998, um importante instrumento de regulamentação e estímulo ao cumprimento das normas técnicas de materiais de construção, assim como de elevação dos padrões de qualidade desses materiais. Os Programas Setoriais da Qualidade (PSQs) que dele fazem parte – como o de tintas imobiliárias – são essenciais para esses avanços e têm trazido contribuições efetivas. Entre elas, o crescimento do índice de conformidade médio de materiais de construção, que era de 40% em 1998 e já alcançou 80%, percentual que segue aumentando ano a ano.

“Esse Programa, conduzido de forma muito competente pela arquiteta Maria Salette de Carvalho Weber, é um divisor de águas no mercado. Mudou a realidade dos materiais de construção no Brasil, contribuindo para elevar seu nível de qualidade, disseminar o uso das melhores práticas, impulsionar a inovação e a sustentabilidade”, afirmou Antonio Carlos de Oliveira, em discurso no evento. Ele ressaltou ainda que a construção civil e todos os segmentos envolvidos com ela saíram ganhando e, mais importante ainda, foram enormemente beneficiados os indivíduos e famílias que vivem nas moradias construídas, reformadas ou renovadas com o uso de materiais em conformidade com as normas técnicas, produzidos ou importados por fabricantes qualificados pelos diversos PSQs.

Três trabalhos de alto nível e grande relevância técnica vencem a edição 2018 do Prêmio ABRAFATI

Elaborados por pesquisadores ligados ao meio acadêmico e à indústria, estudos inovadores contribuem para o avanço tecnológico.

Entregue no último dia 04 de dezembro, o Prêmio ABRAFATI de Ciência em Tintas reconheceu os autores de três estudos de alto nível técnico, em que a preocupação com a sustentabilidade e a inovação foi destaque.

O primeiro lugar foi conquistado por Angelita Cristiane Saul, mestre em Química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e seu orientador, João Henrique Z. dos Santos, professor titular no Departamento de Química Inorgânica da mesma instituição. O estudo que apresentaram intitula-se “Obtenção de microcápsulas aplicadas a smart coatings de proteção anticorrosiva”.

Com o trabalho “Argilominerais saturados com íons férricos aplicados na remoção de corantes e seu reúso como pigmentos de tinta incolor”, classificaram-se em 2o lugar Itamar Antonio Rodrigues, doutorando em Química na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), e seu orientador, Fauze Jacó Anaissi, professor da mesma instituição. Nas últimas quatro edições do Prêmio, em três delas pesquisadores ligados à Unicentro estiveram entre os vencedores, sempre tendo o professor Fauze como orientador, o que revela a dedicação crescente dessa instituição à pesquisa relacionada às tintas.

O 3o lugar ficou com o químico e pesquisador Manuel Julimar Lopes, por seu estudo “Novo agente de cura para resinas Epóxi, com propriedades de aditivo antibolha, composto por 80% de materiais ecologicamente corretos e de fonte renovável”. Proprietário da Lopes Química, o autor tem um histórico vitorioso no Prêmio ABRAFATI, do qual participou pela primeira vez em 2002 (quando conquistou o segundo lugar). Esta foi a quinta vez em que foi premiado.

Assim como os trabalhos premiados nas 18 edições anteriores do Prêmio, os vencedores deste ano trazem contribuições relevantes para o desenvolvimento científico e tecnológico da cadeia de tintas. Isso significa que a premiação, criada 31 anos atrás, segue cumprindo seu papel e impulsionando a pesquisa e a inovação.

Seminário mostra caminhos da inovação em tintas

Pesquisas e desenvolvimentos avançados foram apresentados por especialistas.

Cerca de 80 pessoas participaram ontem (03/12) do seminário Os Caminhos da Inovação em Tintas, promovido pela ABRAFATI, como parte da Semana Inova Indústria, do Senai Mario Amato, em São Bernardo do Campo (SP).

Com uma programação de alto nível, com seis apresentações de especialistas da indústria, de seus fornecedores e do meio acadêmico, o evento proporcionou o acesso a conteúdos e conhecimentos importantes, ao mesmo tempo em que possibilitou a interação e o networking entre os profissionais ligados às tintas.

O leque de temas abordados foi abrangente, envolvendo inovações dos mais diversos tipos e para variadas aplicações. O programa começou com o professor Marcos Fernandes de Oliveira, que tratou do revestimento nanocerâmico na pintura automotiva original, sendo seguido pela apresentação de um novo agente de cura para resinas epóxi, feita por Manuel Julimar Lopes, um dos vencedores da edição 2018 do Prêmio ABRAFATI de Ciência em Tintas. Franklin Jerônimo, líder de Serviços ao Mercado de Repintura Automotiva da PPG, falou sobre as inovações nesse segmento, enquanto Tamara Goes, gerente de Marketing da AkzoNobel, mostrou dois cases recentes da empresa, que revelam que a inovação gera valor. Novos desenvolvimentos em solventes para tintas foram descritos por Caio Molinari, pesquisador sênior da Rhodia Solvay, e Everton Simões Van-Dal, líder de Desenvolvimento de Negócios em Químicos Renováveis da Braskem, relatou os avanços relacionados à química renovável.

A parceria com o Senai Mario Amato – que se mantém há 20 anos, com ótimos resultados, como destacou o seu diretor, Carlos Coelho, logo na abertura do evento – foi fundamental para a realização do seminário. Com ele, o setor teve mais uma ótima oportunidade de compartilhar o trabalho que vem sendo desenvolvido nessa área, assim como de mostrar seu forte comprometimento com o avanço tecnológico.

Na Baixada Santista, ABRAFATI assina Termo de Cooperação Ambiental com Ministério Público de São Paulo

Acordo, que também envolve Abeaço, Prolata Reciclagem e Artesp, implanta sistema de logística reversa de latas de tintas pós-consumo na região.

Foi assinado em Santos, no dia 30 de novembro, um Termo de Cooperação Ambiental para a implantação da logística reversa de latas de tintas pós-consumo em nove municípios da Baixada Santista. O acordo envolve o Ministério Público de São Paulo, por meio do seu Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente da Baixada Santista (GAEMA-BS), e as associações que representam fabricantes de tintas (ABRAFATI), fabricantes de embalagens de aço (Abeaço) e revendedores de tintas (Artesp), além da Prolata Reciclagem, responsável pela coordenação do processo que leva ao reaproveitamento do aço em siderúrgicas.

Foi o primeiro documento desse tipo assinado no estado de São Paulo e o segundo em todo o Brasil (no primeiro semestre de 2018, foi assinado termo similar em Mato Grosso do Sul). A Baixada Santista é vista como um caso exemplar, que serve como modelo para outros locais, pois ficou bem estabelecido o princípio da responsabilidade compartilhada para o atendimento das exigências de logística reversa. Isso significa que todos os envolvidos com as tintas – fabricantes da embalagem, fabricantes do produto, distribuidores, varejistas, consumidores e prefeituras (responsáveis pelos serviços públicos de limpeza urbana e pelo manejo de resíduos sólidos) – têm uma parcela de responsabilidade e devem contribuir para que as embalagens pós-consumo tenham uma disposição final adequada.

“A Logística Reversa é uma realidade para todos, e os órgãos de fiscalização estão atentos”, adverte Antonio Carlos de Oliveira, presidente-executivo da ABRAFATI. “O Ministério Público Federal e os Ministérios Públicos Estaduais iniciaram múltiplos inquéritos para identificação de quem cumpre ou não a PNRS, que podem se tornar ações civis públicas ambientais. Temos mostrado o trabalho desenvolvido pela indústria de tintas e assumimos compromissos em avançar ainda mais, como no caso desse termo de cooperação ambiental assinado com o Ministério Público de São Paulo e o GAEMA-BS”, complementa.

Seminário no Ceará destaca importância da qualidade das tintas

Evento atraiu fabricantes, revendedores, fornecedores de matérias-primas e lideranças setoriais.

 

No último dia 27 de novembro, a ABRAFATI promoveu em Fortaleza o Seminário Tinta de Qualidade Reconhecida. Um seleto público, formado por 55 profissionais da cadeia de produção e distribuição de tintas, participou do evento, que contou com o apoio do Sindquímica (Sindicato das Indústrias Químicas, Farmacêuticas e da Destilação e Refinação de Petróleo do Estado do Ceará), da ACOMAC-CE (Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Ceará) e da FIEC (Federação das Indústrias do Estado do Ceará).

O objetivo foi conscientizar a indústria e o varejo do setor sobre a importância de produzir e comercializar tintas em conformidade com as normas técnicas, que possibilitam que produtos com qualidade reconhecida possam chegar a todos os consumidores brasileiros. Ao mesmo tempo, foi reforçada a mensagem de que um mercado saudável e ordenado é bom para todos, resultando em mais vendas e satisfação dos compradores.

O seminário contou com palestras de Jairo Cukierman, da Tesis Engenharia e Gestão de Programas de Qualidade, e do advogado Rafael Baitz, especialista em Direito do Consumidor, que apresentaram o histórico e os resultados do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias (PSQ), assim como os riscos de produzir e de vender tintas fora da conformidade.

Na sequência, um painel reuniu representantes de quatro fabricantes cearenses que participam do PSQ. Paulo Janousek, da Hidracor, Lucas Neto, da Hidrotintas, Josafá Rebouças, da Hipercor, e Daniel Mota, da Fortex, deram seus depoimentos sobre os benefícios que enxergam no programa.

A escolha do Ceará se explica pela forte presença dos fabricantes locais, que respondem por importante parcela do volume das vendas no estado. Outras regiões deverão receber eventos semelhantes, ampliando cada vez mais o alcance do trabalho que vem sendo desenvolvido em prol da qualidade das tintas imobiliárias.

 

É PRECISO ESTIMULAR A INOVAÇÃO PARA AGREGAR VALOR ÀS TINTAS

Na recente edição do Fórum ABRAFATI da Indústria de Tintas, realizada no dia 20 de setembro, temas essenciais para o nosso setor foram abordados. Um primeiro bloco mostrou uma visão panorâmica da situação e das perspectivas na política e na economia, apresentada de maneira muito consistente pelo cientista político Cristiano Noronha, da consultoria Arko Advice, e pela economista Adriana Dupita, do Banco Santander. Na sequência, nossa tradicional pesquisa interativa dataFATI revelou as expectativas do público presente – cerca de 150 executivos da indústria de tintas e de seus fornecedores – em relação aos mesmos temas e ao desempenho do setor de tintas em 2018 e 2019. As análises e as opiniões dos presentes mostraram que há espaço para melhoria em relação à conjuntura atual, com um crescimento econômico maior no próximo ano (podendo até superar 3%) e boas possibilidades de aprovação de reformas essenciais para o País. O setor de tintas também deve ter resultado mais positivo, crescendo em ritmo superior ao verificado neste ano e no anterior.

Um segundo bloco de apresentações teve foco no varejo de tintas e na experiência do consumidor, trazendo importantes informações e insights sobre o que a cadeia de tintas como um todo deve fazer para aumentar as vendas do produto e, mais do que isso, fazer crescer o valor percebido pelos usuários. A palavra-chave que surgiu nas apresentações feitas por Fernando Baialuna, Diretor de Retail Sales na consultoria GfK, e Newton Guimarães, diretor Grupo Revenda e head da consultoria DataMkt Construção, foi Inovação. E é exatamente nesse termo e na sua importância para o setor que quero me deter.

É consenso que existe um grande espaço para o aumento do consumo de tintas no País, que a gradual retomada de confiança do consumidor e do crescimento econômico impulsionará. Basta pensar na demanda reprimida em relação às reformas e repinturas de imóveis, à construção habitacional, à infraestrutura, ao consumo de diferentes bens (que usam tintas).

Entretanto, devemos ir além de apenas atender à demanda reprimida. É preciso criar novas demandas e transformar a tinta e a pintura em objetos de desejo. Isso exige ousadia e novos olhares, que são facilitados pela tecnologia – pensem no big data, por exemplo, com o processamento de um volume incomensurável de informações e dados, gerando conhecimentos.

Os fabricantes atuantes no Brasil têm todas as condições de inovar, sair da estagnação, criar soluções que encantem e surpreendam o potencial comprador – como já vêm fazendo, com o apoio decisivo dos seus fornecedores. O caminho é esse e não tem volta. Temos de oferecer ao mercado tintas cada vez mais avançadas, agregando valor a elas. Isso vale para as tintas imobiliárias, que representam o maior volume do nosso setor, e também para todos os demais tipos (embora deva ser ressaltado que o trabalho nesse sentido está mais adiantado em segmentos como as tintas automotivas originais e as que se destinam a diversos setores industriais).

Inovar significa, por exemplo, incorporar novas características e funcionalidades às tintas, de que são exemplos bem sucedidos a secagem cada vez mais rápida, a eliminação do odor, a ação antibactéria ou repelente de mosquitos, a autorregeneração (ou self-healing), o monitoramento (via sensores ou outros recursos) de vazamentos ou rachaduras e tantos outros. Inovar também é criar e oferecer utilizações diferenciadas (tintas magnetizadas, tintas que conferem o “efeito lousa” etc.), assim como desenvolver produtos para aplicações específicas (pintura de telhas, azulejos, pisos, gesso, tetos, decks de piscinas, hospitais etc.). Ou ainda inovar nas propriedades adicionais conferidas pelas tintas (com efeitos, por exemplo, na adequação da luminosidade ou da temperatura do ambiente).

No Fórum ABRAFATI, também foi destacada a necessidade – já apontada em diversas ocasiões anteriores – de inovar para tornar mais fácil a aplicação da tinta imobiliária, o que incentivaria mais gente a pintar seus imóveis com maior frequência. Logicamente, elevar a barra em termos de qualidade das tintas e de cumprimento dos princípios mais avançados da sustentabilidade faz parte desse conjunto de demandas ligadas à inovação.

Apostando nesse caminho, com o indispensável apoio de todos os elos da cadeia de produção e distribuição, vamos aumentar o valor percebido das tintas, o que resultará em mais e melhores vendas, fazendo o mercado entrar em um círculo virtuoso: quanto mais se vende, mais estímulo à inovação; quanto mais inovação, mais se vende.

A ABRAFATI tem como um de seus pilares proporcionar oportunidades de relacionamento. Consideramos que, quanto mais somos expostos a ideias e pessoas com visões diferentes, mais expandida torna-se nossa percepção. Neste momento, chegou a hora de ficar em constante movimento de aprendizado e ter a ousadia de se reinventar a partir de novas perspectivas e da compreensão das principais tendências e do seu impacto na produção nacional: novos requerimentos ambientais, novos desenvolvimentos nos processos produtivos e tecnologias disruptivas em canais de vendas.

Vamos pensar, agir, crescer e ampliar o alcance de nossa atuação. Para isso, é fundamental outro dos pilares que definimos para a atuação da ABRAFATI: continuar a facilitar o acesso a conteúdo e conhecimento.

É assim que temos trabalhado para cumprir a desafiadora missão de impulsionar o crescimento e desenvolvimento sustentável da cadeia de tintas, promovendo a melhoria da qualidade e capacitações do setor com reconhecimento pelos consumidores.

———————————————————————————————————————

Artigo de Antonio Carlos de Oliveira, originalmente publicado na revista Química & Derivados, edição 594, de outubro/2018

 

Investindo no desenvolvimento da capacitação técnica do setor

Em outubro, mais um grupo de profissionais concluiu o Curso de Tecnologia em Tintas.

A 31a edição do Curso de Tintas da ABRAFATI encerrou-se em outubro, dando continuidade a uma tradição de três décadas de investimentos na capacitação de profissionais do setor.

A cerimônia de formatura e entrega dos certificados realizou-se na sede da Associação, com a presença dos alunos, dos professores, do coordenador técnico do curso, Jorge Fazenda, e da diretora de Eventos, Telma Florêncio. O patrono dessa edição do curso foi Jorge Arruda, profissional com 35 anos de experiência no setor e conhecimento profundo de tintas automotivas, que há muito tempo faz parte do grupo de especialistas que ministram as aulas. Em seu discurso, ele motivou os alunos a seguirem no caminho do aperfeiçoamento permanente.

Os formandos estão agora ainda mais preparados para lidar com os desafios da indústria de tintas do século 21, com conhecimentos mais abrangentes. Levarão o que aprenderam para suas empresas e para suas carreiras, fazendo a cadeia produtiva avançar.

“O Curso de Tintas é fundamental para o setor. É uma maneira de ter uma visão ampla sobre todas as aplicações das tintas, que não é possível obter em outro local. Os alunos saem com noções básicas sobre vários temas que desconheciam e, a partir daí, podem se desenvolver ainda mais”, diz Jorge Arruda. Orgulhoso por ter sido homenageado como patrono dessa turma, ele afirma que essa é a única atividade de treinamento e capacitação a que se dedica, embora tenha sido convidado várias vezes por outras instituições. “Dou muito valor a esse curso e à seriedade com que é planejado e conduzido”, justifica.

No Dia do Desafio Ambiental, setor cuida das embalagens pós-consumo

Evento voltado à reciclagem, realizado em Curitiba, recebeu diversos tipos de materiais, levados pelo público.

Como parte do trabalho voltado para a busca das melhores soluções para a destinação correta de embalagens pós-consumo de tintas, assim como dos pequenos volumes de tintas que sobram nessas embalagens, a ABRAFATI participou da 3a edição do Dia do Desafio Ambiental, no último dia 27 de outubro, em Curitiba.

O evento, do qual a associação já havia participado anteriormente, foi promovido pelo Inpar (Instituto Paranaense de Reciclagem), em parceria com diversas entidades e com o poder público local, tendo como foco a entrega de resíduos pela população, contribuindo para a reciclagem e a conscientização ambiental.

A participação do setor de tintas ocorreu por meio do Programa Prolata e, no caso das sobras, contou com a parceria da Hydronorth, fabricante de tintas com sede no Paraná. O espaço utilizado foi preparado com as melhores condições e se tornou um dos destaques do evento. Ali foram coletadas centenas de embalagens de aço, totalizando 185 kg, direcionadas para uma cooperativa local, parceira do Prolata. Também foram entregues sobras de tintas existentes nas embalagens, separadas em três categorias conforme seu tipo, para receberem a melhor recuperação e depois serem doadas ou, se não for possível, terem destinação ambientalmente adequada.

O resultado foi muito positivo, tanto em termos de visibilidade para o trabalho desenvolvido pelo setor, quanto para obter mais informações sobre como mobilizar a população para destinar corretamente as embalagens pós-consumo e as pequenas quantidades de sobras de tintas, fazendo desse evento uma ação de logística reversa com foco na Economia Circular.

ABRAFATI 2019: IMPULSIONANDO O CRESCIMENTO DO SETOR DE TINTAS

Está oficialmente lançada a ABRAFATI 2019, que acontecerá de 01 a 03 de outubro do próximo ano. Confiantes no papel fundamental que o evento desempenha no estímulo aos negócios e à inovação tecnológica, agregando valor aos produtos e ao setor, os principais fornecedores da indústria de tintas estão se mobilizando para participar da 16ª Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas, cujos espaços estão sendo comercializados. Logo mais, será o momento de especialistas e empresas dedicarem total atenção ao Congresso Internacional de Tintas.

É fato indiscutível que a Exposição é uma excelente oportunidade para apresentar lançamentos, fortalecer marcas, estreitar relacionamentos, conquistar novos clientes e construir parcerias. Por isso, a participação é planejada com bastante cuidado e antecipação, de maneira a proporcionar os melhores resultados.

Com a presença dos principais fornecedores globais e locais, somada a uma programação técnico-científica de alto nível, a ABRAFATI 2019 será um ambiente altamente favorável aos encontros, à interação, à discussão de novas ideias, às negociações, ao fortalecimento de laços. Como disse um expositor da edição anterior, é uma grande plataforma de networking, que reúne todos os públicos ligados à cadeia produtiva, que estão ali com foco bem definido: buscar novas oportunidades, entender os rumos do setor, conhecer as inovações. Ou seja, encontrar caminhos para a evolução de suas empresas, o que traz como consequência natural a construção de um setor cada vez mais forte e com os olhos postos no futuro. É preciso lembrar que as demandas relativas às tintas aumentam continuadamente, no que se refere à estética, às funcionalidades, à sustentabilidade e a outros aspectos – o que faz com que os gestores da indústria enfrentem grandes desafios. A ABRAFATI 2019 dá a eles a oportunidade de encontrar respostas a esses desafios, por meio do contato com os líderes da inovação e da discussão sobre os mais recentes desenvolvimentos.

Com tudo isso, fica claro que a ABRAFATI 2019 tem tudo a ver com a Missão que definimos para nossa Associação: impulsionar o crescimento e o desenvolvimento do setor. No momento atual, em que o panorama econômico e político parece muito nebuloso, gostaria de ressaltar exatamente esse papel que o evento tem.

O setor de tintas, assim como o Brasil, precisa retomar um crescimento mais vigoroso. No ano passado, crescemos pouco. Neste ano, o primeiro semestre foi melhor do que o esperado, mesmo com o impacto da greve dos caminhoneiros, e existe a expectativa real de um bom segundo semestre. Seguimos avançando, mas o ritmo deveria ser mais forte. O que esperamos de 2019 é que esse “deveria” se transforme em realidade, com a volta da estabilidade política, proporcionada pelas eleições, impactando positivamente na economia. Com isso, virão a retomada de projetos parados e do consumo de bens (todos eles pintados), o impulso às reformas e melhorias de imóveis. Ou seja, crescimento das vendas em nível muito mais expressivo que o atual.

Esse movimento não se dará por inércia. É preciso impulsioná-lo e, ao lançar a ABRAFATI 2019, estamos fazendo isso. Assim, recomendo preparar-se desde já para o evento, que acontecerá em um período extremamente propício, ao qual nosso setor chegará mais aquecido e ávido por inovações. Nessa preparação, pense no médio e longo prazo: avalie o imenso potencial para o crescimento da cadeia de tintas no Brasil, assim como em toda a América Latina, que abre inúmeras oportunidades de negócios com as empresas e os profissionais que estarão circulando pelos corredores, estandes e auditórios do evento. Tenha em mente que o Brasil é um dos maiores produtores de tintas do mundo, com mais de 1,5 bilhão de litros anuais, e tem consumo per capita baixo, quando comparado a outros países. É, portanto, um mercado que deve ser avaliado com atenção por qualquer player, local ou global.

Como disse um pensador, nada é mais poderoso que uma ideia cujo tempo chegou. Como o tempo da ABRAFATI 2019 chegou, é hora de arregaçar as mangas e partir para a ação!

———————————————————————————————————————

Artigo de Antonio Carlos de Oliveira, originalmente publicado na revista Química & Derivados, edição 593, de setembro/2018